Polícia Civil apreende 2,2 toneladas de drogas em Alagoas

apreensoes

As apreensões de drogas, registradas pela Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), de janeiro a novembro deste ano, superaram as 2,2 toneladas, conforme levantamento apresentado pelo delegado Cícero Lima, gerente de Polícia Judiciária 1 (GPJ-1), a qual a especializada está ligada.

O delegado-geral do Estado, Paulo Cerqueira, afirma que o trabalho integrado de combate ao tráfico de drogas em Alagoas, vem dando certo. “A DRN está atenta, tanto é assim que esta é a maior apreensão de drogas que a polícia realiza em Alagoas, este ano. O tráfico está sendo combatido, e precisa saber que vamos combatê-lo ainda mais, conforme orienta o secretário Alfredo Gaspar de Mendonça”, destacou.

Em apenas uma operação, após investigação que durou cinco meses, a Polícia Civil apreendeu, nos bairros de Jacarecica e no Graciliano Ramos, em Maceió, em torno de uma tonelada de maconha e três homens foram presos. Com o grupo, foram recolhidos dois carros e armas.

O delegado da DRN, Gustavo Henrique, explicou que a droga veio do Paraná e foi levada para a cidade de São Miguel dos Campos e, em seguida, trazida para Maceió, para ser distribuída. Segundo ele, os envolvidos presos fazem parte de uma organização criminosa com ramificações em vários estados.

Nesse período, também ocorreu a maior apreensão de cocaína já registrada em Alagoas: 14kg. A quantidade de cocaína e crack apreendida em 2015 supera a de todo ano de 2014. Dois reeducandos monitorados com tornozeleiras eletrônicas foram presos em um carro, perto da Ceasa, no bairro da Forene, onde também foram encontrados 36kg de maconha.

Em outra operação, equipes da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), Núcleo de Inteligência (NI) da Delegacia Geral e do Tático Integrado de Grupos de Resgates Especiais (Tigre), da Polícia Civil, apreenderam 1,3 kg de pasta base de cocaína, no conjunto Salvador Lyra, em Maceió. Além da pasta base, vinda de São Paulo, a Polícia apreendeu outras substâncias utilizadas na fabricação e no preparo da cocaína e do crack, como ácido bórico, bicarbonato de sódio e amônia. Três pessoas foram presas.

Os levantamentos apresentados pela GPJ-1 mostram a apreensão de 2.200kg de maconha; 33kg de cocaína; 35kg de crack; 140 comprimidos de LSD; 110 comprimidos de ecstasy; três litros de clorofórmio; e 500g de haxixe.

A Delegacia de Repressão ao Narcotráfico, entre janeiro e novembro, cumpriu 24 mandados de prisão; 172 mandados de busca e apreensão; 171 mandados de busca. A especializada instaurou 329 inquéritos policiais, concluiu 250 – 220 com autoria (88%) e 30 sem autoria (12%).

Roubos de Veículos e Cargas

Os levantamentos feitos pela GPJ-1 mostram que a Delegacia de Roubos e Cargas (DRVC), que tem como titular o delegado Rodrigo Colombelli, realizou diversas operações com a apreensão de mercadorias diversas e prisões de quadrilhas especializadas no roubo de carros e também de cargas.

Entre as apreensões, destacam-se a de mais de sete mil maços de cigarros – avaliados em R$ 30 mil, uma grande carga de ração roubada; de peças de automóveis, e de aparelhos de som roubados, por uma quadrilha formada por cearense, cujos integrantes também foram presos.

A delegacia prendeu também outras pessoas envolvidas com o roubo de veículos e apertou o cerco contra os desmanches irregulares, tanto na capital como no interior do Estado.

A especializada participou ainda, junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AL), dos estudos para a regulamentação da Nova Lei dos Desmanches, seguindo o modelo implantado em São Paulo e que vem dando certo, e que deve entrar em vigor no próximo ano.

Outra parceria com o Detran, permitirá o alerta imediato sobre a existência de veículo clonado/roubado, durantes as vistorias, com o envio imediato de policiais para a condução do veículo e do suspeito até a DRFV.

Já a Delegacia de Roubos da Capital, comandada pela delegada Maria Angelita, efetuou a prisão de quadrilhas envolvidas em assaltos contra transeuntes, como também roubos a casas residenciais e comerciais. De janeiro a novembro, instaurou 236 inquéritos, com a conclusão de 178 deles. Com autoria foram 167 (95%) e sem autoria apenas nove (5%).

Fonte: PC/AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *