Quatro suspeitos são detidos acusados de jogarem torcedor da arquibancada

Jornal “Clarín” diz que responsável por iniciar briga ainda está sendo procurado. TV divulga imagens de toda a agressão a Emanuel Balbo em jogo do Campeonato Argentino

A polícia de Córdoba prendeu quatro suspeitos de agredirem o torcedor Emanuel Balbo, que está entre a vida e a morte após ter sido jogado das arquibancadas durante o empate entre Belgrano e Talleres, no último sábado, pelo Campeonato Argentino. Segundo o jornal “Clarín”, falta, entretanto, encontrar Oscar Sapito Gómez, barra brava acusado de iniciar a confusão no estádio Mario Alberto Kempes.

Na briga, o jovem teria reconhecido um dos homens que seriam responsáveis pela morte de seu irmão mais novo. Ao enfrentá-lo, o suposto criminoso alegou que Balbo era torcedor do Talleres e incitou as pessoas que estavam no local a agredi-lo. A revelação foi feita pelo pai de Emanuel, Raúl Balbo, à Rádio Mitre, de Córdoba.

– A primeira coisa que tenho que deixar claro é que meu filho não é torcedor do Talleres, não tem nenhuma tatuagem do Talleres e tampouco estava roubando. Meu filho é muito torcedor do Belgrano. O problema é que, faz quatro anos, mataram meu filho mais novo, e ele (Emanuel) foi ao estádio e viu um dos assassinos. Oscar Gómez é um dos que matou meu filho em 2012. Emanuel o reconheceu e aí se armou a confusão. O pouco homem que é Oscar Gómez, em vez de defender-se só, incitou à violência gritando que meu filho era torcedor do Talleres e pediu que o tirassem dali – declarou Raúl Balbo, à Rádio Mitre.

Inicialmente, foi noticiado que Emanuel Balbo teve morte cerebral. Entretanto, o jovem segue lutando para sobreviver, conforme divulgou neste domingo o diretor do Hospital de Urgências de Córdoba. Apesar de seu estado ainda ispirar muitos cuidados.

– Ele deu entrada com fratura e afundamento parietal, com edema cerebral. É um trauma grave, seu estado é crítico, tendo muito pouco reflexo e poucos sinais de atividade cerebral – afirmou o diretor do hospital, Maximiliano Tittarelli, à rádio argentina “Cadena 3”.

ge

17/04/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *