Prefeitura inicia manutenção de galeria em Mangabeiras

13170628_983695098393109_2049048130_o-1024x768

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Urbanização (Seminfra) e a Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum) deram início, nesta terça-feira (10), a uma operação conjunta no bairro de Mangabeiras para a desobstrução e a manutenção da galeria de águas pluviais que passa pela Avenida Gustavo Paiva. O trabalho está concentrado no trecho entre o viaduto João Lyra e o santuário Virgem dos Pobres, onde o trânsito está temporariamente bloqueado para que as equipes da Prefeitura realizem os serviços.

Além da manutenção e limpeza da galeria, que buscam cessar os transbordamentos na região e garantir que as águas das chuvas possam escoar sem contato com efluentes ou mesmo esgoto, a operação conjunta na Gustavo Paiva também contempla a fiscalização de toda a rede de galerias que passa pela avenida e ruas adjacentes. Este trabalho está sendo realizado por equipes da Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (Sempma), cujo objetivo é constatar se os transbordamentos têm origem em ligações clandestinas de esgoto.

13170092_983695121726440_592201325_o-1024x768
Lixo está sendo retirado de canais e galerias por equipes da Slum. Foto: Lucas Alcântara/Ascom Slum

“A Prefeitura de Maceió está trabalhando para antever problemas no período chuvoso e os trabalhos realizados foram necessários para identificar a real situação do problema para que possamos atuar na mesma proporção. Por isso, os trabalhos vão prosseguir por mais alguns dias para que a desobstrução continue até que a limpeza seja concluída e ligações clandestinas de esgotos sejam tamponados e os responsáveis autuados”, disse o titular da Sempma, Antonio Moura.

O diretor de operações da Slum, Pablo Ângelo, acompanhou o início dos serviços e explicou que, em relação à manutenção e à limpeza, a operação foi planejada para retirar todos os resíduos descartados inadequadamente nos canais, que são levados às galerias pelas águas pluviais. As galerias também estão sendo limpas, E com isso, será possível identificar o ponto da tubulação que está obstruído, causando os transbordamentos em frente a um prédio residencial da avenida. Sobre a dimensão do serviço, o diretor esclareceu que o trabalho está sendo feito de forma completa e não como um paliativo, por isso a necessidade do bloqueio do trânsito.

“Sabemos que todos os serviços de grandes proporções causam transtornos, mas são necessários para que o trabalho seja feito com qualidade e de forma definitiva. No caso da Gustavo Paiva, estamos realizando a limpeza da galeria para desobstruir a passagem das águas pluviais. Os agentes de limpeza estão nos canais que passam pela região, a exemplo do que fica na saída da Grota do Cigano. O lixo das galerias também está sendo retirado, E com isso, vamos identificar em que ponto da tubulação está ocorrendo o problema que gera o transbordamento. Estamos fazendo o que é necessário e a expectativa é de que até o final da semana tudo seja normalizado”, explicou Pablo Ângelo.

Equipes da Slum iniciaram a limpeza do canal da Grota do Cigano. Foto: Lucas Alcântara/Ascom Slum
Equipes da Slum iniciaram a limpeza do canal da Grota do Cigano. Foto: Lucas Alcântara/Ascom Slum

Para a realização do serviço, o trânsito que segue pela Avenida Gustavo Paiva foi desviado pela Rua Desembargador Valente de Lima. No trecho onde os 40 trabalhadores da Prefeitura estão atuando, foi necessário escavar o solo próximo ao edifício residencial para saber o porquê dos transbordos de esgoto. Com isto, foi constatada uma caixa de esgoto que começou a ter os efluentes retirados por máquina de sucção para não comprometer a limpeza das galerias de águas pluviais da Prefeitura.

Lixo está sendo recolhido por equipes da Slum. Foto: Lucas Alcântara/Ascom Slum
Lixo está sendo recolhido por equipes da Slum. Foto: Lucas Alcântara/Ascom Slum

Nas fiscalizações realizadas na rede de galerias da região, ainda na segunda-feira (9), equipes da Sempma constataram uma tubulação que lançou esgoto da rede de galerias de águas pluviais, na área que dá acesso à Grota do Cigano. Técnicos da Secretaria estão analisando os prováveis responsáveis por este crime ambiental para autuá-los por descumprimento ao Código Municipal de Proteção ao Meio Ambiente, regido pela Lei 4.548/96 e também pela Lei Federal de Crimes Ambientes, de número 9.605/98.

Hiago Rocha/Ascom Sempma e Lucas Alcântara/Ascom Slum