Estudante é preso ao queimar próprio carro para dar golpe do seguro

estudante

Um estudante de direito, de 22 anos, foi preso nesta semana pela Polícia Civil por suspeita de colocar fogo no próprio carro para simular um furto e assim tentar aplicar um golpe contra a seguradora do veículo em São Paulo.

De acordo com o Bom Dia São Paulo, Israel Braz de Oliveira chegou a registrar boletim de ocorrência do suposto furto no dia 12 deste mês. Ele foi descoberto pela investigação porque arrancou o banco do automóvel para vender, mas dentro estava o rastreador instalado pela seguradora. O sinal acabou levando os policiais ao aluno.

O carro, modelo 2008, virou cinzas, num matagal de Guaianazes, na Zona Leste, como mostram as fotos divulgadas pela Polícia Civil (veja vídeo acima). A primeira versão contada pelo estudante à polícia foi de que o automóvel tinha sido furtado.

Nesta semana, no entanto, a polícia descobriu a história verdadeira. Israel foi preso por tentativa de dar golpe na seguradora.

Segundo a polícia, ele confessou o crime, dizendo que sumiu com o carro para receber o dinheiro do seguro. O plano estava dando certo e a seguradora já tinha até fixado o valor do pagamento: R$ 23 mil.

Rastreador
Só que antes de se livrar do veículo, Israel teve uma ideia que acabou revelando a fraude: ele retirou o banco traseiro, para ganhar um dinheiro a mais com a venda. O que ele não sabia é que dentro do banco estava instalado um rastreador.

O equipamento tinha sido colocado pela própria seguradora. Guiados pelos sinais do rastreador, os policiais encontraram o banco na oficina mecânica do pai de Israel. “Esse rastreador continuou instalado e por isso que a gente teve essa informação”, disse o delegado Alexandre Diask.

Israel foi preso em flagrante por fraude contra seguro, um crime inafiançável, com pena de um a cinco anos de prisão.
G1