Cultivo de ostras desenvolve economia e atrai turistas a Alagoas

Alagoas conta com a única depuradora de ostras em funcionamento no Brasil

b0635d08fafec9c5f186df34fe4081a0_l

O litoral de Alagoas é reconhecido mundialmente por suas belas praias, que atraem e encantam visitantes de todas as partes do mundo. Porém, não apenas das suas belezas naturais vive a região, a rica gastronomia é um dos pontos fortes, com pratos que utilizam a grande variedade de frutos do mar como ingrediente de destaque. Entre tais ingredientes, a ostra vem se destacando e ganhando uma relevância cada vez maior, tanto gastronômica quanto economicamente.

A ostra é um dos alimentos mais sofisticados e saborosos e tem uma importância crucial para a economia do litoral, mais de 150 famílias, de 5 comunidades, tem a ostreicultura como a principal fonte de renda. A atividade é fomentada pelo Governo do Alagoas e está incluída nas políticas públicas de pesca e aquicultura.

Visando fortalecer a prática e incentivar o cultivo do molusco em Alagoas, em 2010, foi instalada uma unidade de depuração de ostras na cidade de Coruripe e iniciado o Programa de Ostras Depuradas de Alagoas, iniciativa da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) e execução técnica do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS).

É de extrema importância que se consuma apenas as ostras que passem pelo devido processo de depuração, já que existem agentes poluentes absorvidos por elas e que são bastante nocivos à saúde dos seres humanos. O processo de depuração consiste justamente na remoção desses agentes poluentes, garantindo a sanidade e a confiabilidade do produto.

Além da instalação da unidade de depuração, o programa originou também a construção de um modelo de gestão comunitária que subsidiou estratégias diferenciadas que melhoraram a comercialização e a inserção do produto nos mercados turístico e gastronômico.

“A implantação do programa é de extrema importância para a região, não apenas por assegurar a qualidade do produto, mas também como um mecanismo de organização social, uma vez que todas as medidas tomadas são acordadas entre os produtores e as famílias que vivem do cultivo da ostra, alinhando toda a cadeia produtiva. Gastronomicamente falando, o projeto ajudou a disseminar o alimento, que está cada vez mais presente na mesa das pessoas”, afirmou a coordenadora do Núcleo de Turismo do IABS, Marcela Pimenta.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) promove e estimula eventos que fomentem a gastronomia alagoana. Exemplo disso é o 1º Festival Gastronômico da Ostra e Frutos do Mar, que acontecerá entre os dias 28 de outubro e 6 de novembro na Barra de São Miguel.

“A gastronomia é um dos principais patrimônios culturais de Alagoas. Estimular programas e promover eventos que desenvolvam a culinária e capacitem os atores envolvidos é um dos focos da Sedetur”, afirmou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo,  Helder Lima.

Marcel Leite – Agência AL

08/10/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *