Acusado de incendiar apartamento da ex no Poço tem acusação de estelionato

Rosivan Vanderlei foi preso após denúncia anônima ainda nesse domingo

rosivanfilho

O homem suspeito de incendiar o apartamento da ex-namorada na madrugada desse domingo (1) no bairro do Poço, em Maceió, já tinha sido alvo de investigação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do Ministério Público Estadual (MPE/AL). Rosivan Vanderlei Almeida Filho, de 38 anos, além de ser o principal suspeito de ter ateado fogo em um apartamento localizado no Edifício Solaris, também foi denunciado por estelionato.

O incêndio atingiu o 12º andar do edifício. O Corpo de Bombeiros foi acionado e precisou de cinco viaturas para controlar as chamas. Rosivan Vanderlei foi preso após denúncia anônima ainda nesse domingo. Segundo policiais militares que participaram da prisão, o suspeito estava na casa da mãe dele quando foi detido. Ele foi levado à Central de Flagrantes, no bairro do Farol. Policiais também afirmaram à imprensa que receberam o chamado avisando que Rosivan estava ameaçando atear fogo na casa da própria mãe.

Na Central de Flagrantes, foi constatado que o suspeito tem passagem pela polícia pela Lei Maria da Penha, clonagem de cartão e injúria. Em agosto de 2012, Rosivan juntamente com Francisco de Assis Melo Azevedo Júnior, Rodrigo Barbosa de Oliveira Mendes e Felipe Santos Pedrosa Pinheiro foram denunciados à 17ª Vara Criminal da Capital através da Operação Clone.

Operação Clone

A investigação do Gecoc em parceria com as policias civil e militar desbaratou em julho daquele ano uma quadrilha que vinha agindo no esquema de clonagem de cartão de crédito, causando prejuízo milionário a consumidores e comerciantes. Denominaram a ação de ‘Operação Clone’.  A investigação do Gecoc transcorreu durante três meses, alcançando os principais líderes do bando de clonagem de tarjeta de crédito.

Na operação, foram apreendidos dezenas de cartões de crédito falsificados, tarjetas em branco, impressora de fabricação de cartões de crédito, vírus capturador de dados de clientes, computadores com trilhas de clientes lesados, réguas de magnetização de tarjeta, 21 veículos – entre motos, jet-skis e automóveis, além de dezenas de aparelhos eletroeletrônicos, como celulares.

Tribuna Hoje