Pai de Neymar explica decisão de divulgar fotos íntimas: ‘Prefiro um crime de internet que um crime de estupro’

A decisão de Neymar de divulgar mensagens e fotos íntimas da mulher que o acusou de estupro ganhou explicação nesta segunda-feira. O pai do atleta da seleção brasileira afirmou que ‘prefere um crime de internet a um crime de estupro’.

“Essa acusação de estupro não afeta só a instituição (Neymar Jr), afeta a família, pai, mãe. Estamos muito abalados. É muito difícil você saber que isso não é verdade e enfrentar essa situação”, disse Neymar pai em entrevista à TV Bandeirantes.

“Neymar precisava se defender rapidamente”, declarou ele, referindo-se ao crime contra a privacidade da acusadora. “A gente não tinha uma escolha. Prefiro um crime de internet do que um crime de estupro.”

O artigo 218-C do Código Penal prevê de um a cinco anos de prisão por “oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vencer ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio (…), fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha (…), sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia”.

Neymar é investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que tem atribuição em todo o estado do Rio de Janeiro. O inquérito será aberto nesta segunda-feira, e Neymar deve ser chamado para depor e ter seu celular periciado. O mesmo deve acontecer com a mulher, informa o MSN.

O pai de Neymar disse ainda que o vídeo não foi tirado do ar intencionalmente, mas derrubado pela própria rede social.

“Quando o Neymar saiu do Santos, fomos acusados de sonegação fiscal, disseram que minha família ia ser presa. Foi transitado e julgado, fui absolvido, e até hoje levamos o nome de sonegadores. Por isso a decisão nossa naquele momento era que o Neymar se expusesse. Preservamos a imagem da menina e o nome. Era uma defesa que ele tinha naquele momento”, justificou.

03/06/2019

(Visited 1 times, 1 visits today)